Capa do livro O Mistério e o Mundo

O Mistério e o Mundo

Paixão por Deus em tempos de descrença

Autor: maria clara bingemer

Preço: R$ 48,00

480 pp. | 14 x21 cm

ISBN: 978-85-325-2793-6

Assuntos: RELIGIÃO/ESPIRITUALIDADE

Selo: Rocco

COMPRE O LIVRO

Disponível em e-book

Preço: R$ 29,00

E-ISBN: 978-85-8122-648-4

Em O Mistério e o mundo a teóloga Maria Clara Lucchetti Bingemer analisa a trajetória das transformações culturais que levaram a crise das religiões e configuraram novos desafios e responsabilidades para o homem contemporâneo, oscilante entre a crença, e a descrença e em muitos casos indiferente ao tema. A autora mostra o impacto da sociedade globalizada nos valores do cristianismo, e em outras religiões como o judaísmo e o islamismo. Católica, ela lança uma reflexão pioneira sobre a paixão por Deus em tempos de descrença.

Dividido em cinco capítulos, O Mistério e o mundo realiza uma profunda reflexão sobre os caminhos do fenômeno religioso em termos históricos, mas também antropológicos e sociológicos. Na primeira parte, a autora traça um amplo panorama sobre as questões culturais que atravessaram a religião cristã. A queda das utopias e o impacto dos novos meios de comunicação, o fim das hegemonias e o predomínio da pluralidade, evidentes nas novas realidades globais contemporâneas, exacerbaram o individualismo. Tal fenômeno alimentou uma lógica cultural e social baseada no consumo e no imediatismo. Inspirada em extensa bibliografia ela traça sua argumentação utilizando filósofos e teóricos da comunicação como Jean Baudrillard, Zygmunt Bauman e Paul Ricouer. A autora faz um levantamento aprofundado dos problemas advindos com a pós-modernidade e que desembocaram na crise da ética e na volatilidade da moral.

E este é o ponto de partida do segundo capítulo. A cultura secular traz embutida uma crise da religião, pois a torna algo privado. Nesta parte ela faz uma análise das origens de tal ruptura e busca, apoiada em filósofos como Michel Onfray e teólogos como Andrés Torres Queiruga e Karl Rahner as raízes da crise das instituições e dogmas. Mas ela também investiga as saídas propostas para tais impasses. Ao mesmo tempo em que acontece a troca de paradigmas que liberta a sociedade do “ópio” da religião reaparece a sede pelos Mistérios e pela mística em distintas formas.

A experiência religiosa ou mística será, portanto, o foco do terceiro capítulo. Para a autora, distinguir e delimitar experiência religiosa, experiência mística, experiência de Deus e experiência Cristã de Deus é a questão central da obra. Uma vez ultrapassado este estágio ela se deterá sobre a importância da narrativa na experiência de Deus hoje. Isto, segundo ela, possibilitará um verdadeiro acesso ao Mistério de Deus, às vezes dificilmente perceptível no movediço contexto atual. E ai cabe distinguir o que seria tal vivência, no mundo contemporâneo permissivo, plena de encantos provisórios, da outra abordagem, na qual a experiência religiosa e mística envolve comprometimento e contato mais intimo com o Sagrado.

A obra O Mistério e o mundo leva o leitor a refletir também sobre a experiência do Sagrado através de histórias de vida que apresentam propostas radicais de amor ao outro: a biografia da ativista norte-americana Dorothy Day, convertida ao catolicismo; a trajetória de Esther Hillesum, jovem judia, herdeira de uma longa tradição espiritual, e que enfrentou bravamente a ocupação nazista; a vida de doação e amizade aos pobres do jesuíta Egide van Broeckhoeven, nascido na Antuérpia, mostram que o homem ainda busca o contato com o Mistério de Deus. E quando isto acontece, ele transcende suas limitações. Dentro ou fora da Igreja e das instituições religiosas, os místicos ensinam que experimentar o contato com Deus os conduz a uma paixão ardente por este mundo pulsante e também sensorial. E é isto que os motiva a trabalhar sem cessar por sua redenção e transformação.

Comente  
Instagram

O AUTOR

Maria Clara Bingemer é casada e mãe de três filhos adultos. Formou-se em comunicação e em teologia pela PUC do Rio e doutorou-se pela Universidade Gregoriana de Roma. É professora de teologia da PUC-Rio e decana do centro de teologia e ciências humanas da mesma universidade. Articulista do JB, e apaixonada pela palavra escrita, tem vários livros publicados como A argila e o espírito (Garamond), Um rosto para Deus? (Paulus), Violência e religião (Loyola). Foi organizadora das obras: Simone Weil: ação e contemplação (EDUSC), Mulheres de palavra (Loyola) e Os dez mandamentos (Loyola).

Página do autor +