Capa do livro Correspondências

Correspondências

Autor: clarice lispector

Organizador: Teresa Montero

Preço: R$ 46,00

336 pp. | 14x21 cm

ISBN: 85-325-1486-3

Assuntos: CORRESPONDÊNCIA

Selo: Rocco

COMPRE O LIVRO

Disponível em e-book

Preço: R$ 29,50

E-ISBN: 978-85-8122-573-9

"Desculpe, não estou mais ouvindo, a distância é grande, minha ‘aura’ está acabando e o esforço desta comunicação é tão sobre-humano que mal tenho força de assinar", lamentava a jovem Clarice Lispector ao escritor Lúcio Cardoso, num bilhete curto, o silêncio do amigo e leitor cuidadoso de seus primeiros textos.

Como revirar a velha caixa de cartas, a recente publicação de Correspondências, de Clarice Lispector, pela Editora Rocco, traz à tona os enfrentamentos cotidianos da autora, expostos em 129 cartas trocadas com outros escritores, artistas, intelectuais e familiares, sendo 70 cartas de autoria de Clarice e 59 recebidas por ela. A coletânea — idealizada pela família de Clarice e organizada por Teresa Montero, também autora de uma biografia da escritora, Eu sou uma pergunta — reúne cartas, inéditas em sua maior parte, que permitem a compreensão da produção literária da escritora, assim como um encontro com sua intimidade.

Correspondências cobre quatro décadas da vida de Clarice Lispector, da década de 1940 até pouco antes da sua morte, ocorrida no Rio de Janeiro, em dezembro de 1977. Entre seus correspondentes estão o marido, Maury Gurgel Valente, os amigos Bluma Wainer e Fernando Sabino, com quem manteve uma rica e frutuosa correspôndência, até trocas mais pontuais, como as de Manuel Bandeira e Fernanda Montenegro.

Há também cartas que tratam de seu trabalho como romancista e contista, a negociação com editoras e, sobretudo, a necessidade de interlocução expressa por Clarice e o retorno encorajador e maravilhado dos autores e amigos com quem conviveu. João Cabral de Melo Neto lhe escreve de Barcelona falando de um editor interessado em seus romances e, em outra carta, confessa que "você sabe perfeitamente que escreve a única prosa de autor brasileiro atual que eu gostaria de escrever".

A preocupação de Clarice, tanto com sua obra quanto com a interpretação que dela fazem os críticos, é também visível no conteúdo das cartas. Sabe-se, por exemplo, que escreveu a Álvaro Lins dizendo que seu primeiro romance Perto do coração selvagem não era, como julgava o crítico, inspirado em James Joyce ou Virgínia Woolf. Defendia-se da crítica, segundo ela, "por causa de uma impressão de insatisfação que tenho depois de ler certas críticas, não é insatisfação por elogios, mas é um certo desgosto e desencanto – catalogado e arquivado".

As angústias, as descobertas, a relação com os filhos e as amizades, vividas e registradas no Brasil e no exterior, estão presentes nesta coletânea, que permite ao leitor mergulhar no mundo de Clarice Lispector e perceber que o segredo do mito foi o de ser tão humano quanto qualquer um de nós.

Além de Correspondências, recentemente a Editora Rocco relançou toda a obra de Clarice Lispector.

Comente  
Instagram

O AUTOR

Reconhecida pela crítica literária brasileira e estrangeira como uma das maiores escritoras do século XX, Clarice Lispector mudou os rumos da narrativa moderna com uma escrita singular, passando por diversos gêneros, do conto ao romance, da crônica à dramaturgia, da entrevista à correspondência e, também, pelas páginas femininas.

Página do autor +