Clarice Lispector

Romances e contos

O Lustre

264pg. | Livro: R$ 36.50

Laços de Família

136pg. | Livro: R$ 24.00

Felicidade Clandestina

160pg. | Livro: R$ 25.50

Água Viva

88pg. | Livro: R$ 21.00

A Via Crucis do Corpo

84pg. | Livro: R$ 20.00

A Paixão Segundo G.H.

180pg. | Livro: R$ 31.00

A Maçã no Escuro

336pg. | Livro: R$ 45.00

A Legião Estrangeira

104pg. | Livro: R$ 21.00

A Hora da Estrela

88pg. | Livro: R$ 20.00

A Cidade Sitiada

204pg. | Livro: R$ 29.50

A Bela e a Fera

108pg. | Livro: R$ 18.50

Crônicas e antologias

Para Não Esquecer

128pg. | Livro: R$ 26.50

Todos os contos

656pg. | Livro: R$ 69.50

Só para Mulheres

160pg. | Livro: R$ 44.00

O Tempo

264pg. | Livro: R$ 34.50

Minhas Queridas

328pg. | Livro: R$ 39.00

Entrevistas

232pg. | Livro: R$ 29.00

De Escrita e Vida

144pg. | Livro: R$ 20.00

De Bichos e Pessoas

184pg. | Livro: R$ 20.00

De Amor e Amizade

136pg. | Livro: R$ 20.00

Correspondências

336pg. | Livro: R$ 46.00

Aprendendo a Viver

224pg. | Livro: R$ 29.50

A Descoberta do Mundo

480pg. | Livro: R$ 58.50

Infantil

Clássicos estrangeiros adaptados

o Talismã

200pg. | Livro: R$ 29.50

Chamado Selvagem

128pg. | Livro: R$ 24.50

A Ilha Misteriosa

296pg. | Livro: R$ 34.00

Viagens de Gulliver

240pg. | Livro: R$ 29.00

Cadastre seu e-mail e receba novidades exclusivas

Um nome para o que eu sou, importa muito pouco. Importa o que eu gostaria de ser.

Clarice por Clarice

Ao mesmo tempo que ousava desvelar as profundezas de sua alma em seus escritos, Clarice Lispector costumava evitar declarações excessivamente íntimas nas entrevistas que concedia, tendo afirmado mais de uma vez que jamais escreveria uma autobiografia. Contudo, nas crônicas que publicou no Jornal do Brasil entre 1967 e 1973, deixou escapar de tempos em tempos confissões que, devidamente pinçadas, permitem compor um auto-retrato bastante acurado, ainda que parcial. Isto porque Clarice por inteiro só os verdadeiramente íntimos conheceram e, ainda assim, com detalhes ciosamente protegidos por zonas de sombra. A verdade é que a escritora, que reconhecia com espanto ser um mistério para si mesma, continuará sendo um mistério para seus admiradores, ainda que os textos confessionais aqui coligidos possibilitem reveladores vislumbres de sua densa personalidade.

[+]
1920
1920

Nasce a 10 de dezembro em Tchetchelnik, na Ucrânia. Clarice recebe o nome de batismo de Haia (Vida), filha de Mania e Pinkhas Lispector.

1922

Março: chegada em Maceió da família Lispector, composta por: Pinkhas (37 anos), Mania (31 anos), Leia (9 anos), Tania (6 anos) e Haia (1 ano). Durante a permanência na capital alagoana, seus nomes são abrasileirados para Pedro (Pinkas), Marieta (Mania), Elisa (Leia) e Clarice (Haia) — somente Tania conserva o nome original. São recebidos por Zaina, irmã de Mania e seu marido, José Rabin, que viabilizaram a vinda deles para o Brasil e os hospedaram nos primeiros tempos.

 
1925

A família Lispector se transfere
para a cidade do Recife.

1928

Clarice passa a freqüentar
o Grupo Escolar João Barbalho.

 
1920
1930

Morte da mãe, Marieta, que sofria de paralisia. Nesta época Clarice estuda no Collegio Hebreo-Idisch-Brasileiro e escreve sua primeira peça de teatro, Pobre menina rica, assim como outros textos curtos que tenta publicar sem sucesso na imprensa recifense.

1932

Ingressa no tradicional Ginásio Pernambucano.

1935

Mudança para a cidade do Rio de Janeiro, então Capital Federal, onde passa a estudar
no Colégio Sílvio Leite, no bairro da Tijuca, onde reside.

1938

Ingressa no Curso Complementar do Colégio Andrews, em Botafogo, e começa a trabalhar como professora particular de português e matemática.

1939

Ingressa na Faculdade Nacional de Direito, depois de passar em quarto lugar no vestibular, e passa a trabalhar como secretária de um escritório de advocacia.

 
1940
1940

26 de agosto: morte do pai.
Começa a trabalhar como repórter na Agência Nacional, do Departamento de Imprensa e Propaganda.

1942

Fevereiro: começa a trabalhar como repórter no jornal
A Noite (Rio de Janeiro, RJ).

1943

12 de janeiro: obtém a naturalização brasileira.
23 de janeiro: casa-se com Maury Gurgel Valente, seu colega na faculdade de Direito, recém-ingressado na carreira diplomática. Publicação de seu primeiro livro: Perto do coração selvagem, escolhido romance do ano pela Fundação Graça Aranha.

1944

19 de julho: embarque para Nápoles, Itália, onde Maury Gurgel Valente assumiria seu primeiro posto no exterior. Clarice só chegaria à Itália em agosto, depois de passagens por Portugal e pelo norte da África.

 
1946

18 de janeiro/21 de março:
temporada carioca, quando
aproveita para lançar seu
segundo livro: O lustre.
15 de abril: o casal instala-se
em Berna, Suíça.

1948

10 de setembro: nascimento,
em Berna, do primeiro filho:
Pedro Gurgel Valente.

1949

3 de junho: deixa Berna, de retorno para o Brasil, onde lançaria neste mesmo ano seu terceiro livro: A cidade sitiada.

 
1950
1952

Maio a setembro: responsável pela página Entre Mulheres do jornal Comício (Rio de Janeiro, RJ), sob o pseudônimo de Tereza Quadros. Publicação do primeiro livro de contos: Alguns contos.
24 de setembro: o casal instala-se em Washington.

1953

10 de fevereiro: nascimento, em Washington, do segundo filho: Paulo Gurgel Valente.

1954

15 de junho a 15 de setembro: temporada de férias no Rio de Janeiro.

1959

Junho: separa-se de Maury Gurgel Valente e regressa à cidade do Rio de Janeiro. Publica uma série de contos na revista Senhor.

1959/1960

Publica, sob o pseudônimo de Helen Palmer, a coluna Feira de Utilidades, no jornal carioca Correio da Manhã.

 
1940
1960

Publicação do segundo livro de contos: Laços de família. Escreve a coluna Nossa Conversa, do Diário da Noite, como ghost writer da atriz Ilka Soares.

1961

Publicação do quarto romance: A maçã no escuro, ganhador do prêmio Carmen Dolores Barbosa de melhor livro do ano.

1964

Publicação do terceiro livro de contos: A legião estrangeira, e do quinto romance: A Paixão segundo GH.

 
1967

Começa a publicar suas crônicas no Jornal do Brasil.
Publicação do primeiro livro infantil: O mistério do coelho pensante, eleito melhor livro infantil do ano pela Campanha Nacional da Criança.

1968

Publicação do segundo livro infantil: A mulher que matou os peixes.
Março: dá início a uma série de entrevistas para a revista Manchete, sob o título de Diálogos possíveis com Clarice Lispector.
Engajamento político: a 6 de abril, chocada com a morte do estudante Edson Luís, termina sua crônica com o seguinte P.S.: “Estou solidária, de corpo e alma, com a tragédia dos estudantes do Brasil.” No dia 2 de junho, integra o grupo de 300 intelectuais que se dirige ao Palácio Guanabara para cobrar do governador Negrão de Lima uma postura mais democrática. E, no dia 26 de junho, participa, na linha de frente composta por intelectuais e artistas, da Passeata dos Cem Mil contra a ditadura militar.

1969

Publicação do sexto romance: Uma aprendizagem ou o Livro dos prazeres, ganhador do prêmio Golfinho de Ouro do Museu da Imagem e do Som do Rio de Janeiro.

 
1940
1971

Publicação do quarto livro de contos: Felicidade clandestina.

1973

Publicação do quinto e do sexto livros de contos: Água viva e A imitação da Rosa.

1974

Publicação do sétimo e do oitavo livro de contos: A via crucis do corpo e Onde estivestes de noite, assim como do terceiro livro infantil: A vida íntima de Laura. Começa a se dedicar intensamente à tradução, vertendo para o português obras de autores tão variados quanto Garcia Lorca, Jack London, Júlio Verne, Agatha Christie e Edgar Allan Poe.

1975

Publicação da coletânea de crônicas: Visão do esplendor.
Publicação do livro de entrevistas: De corpo inteiro. Começa a realizar entrevistas para a revista Fatos &Fotos. Participa do 1º Congresso Mundial de Bruxaria, em Bogotá, Colômbia, no qual profere a conferência: Literatura e Magia.

 
1976

Abril: recebe prêmio pelo conjunto
da obra da Fundação Cultural do
Distrito Federal. 20 de outubro:
grava um longo depoimento para
o Museu da Imagem e do Som
do Rio de Janeiro.

1977

Fevereiro: é contratada pelo jornal
Última Hora para fazer uma crônica semanal.
Publicação de seu último romance, A hora da estrela
e de uma coletânea de crônicas, Para não esquecer. 9 de dezembro: morte da escritora.

1978

Publicação do romance Um sopro de vida.
Publicação do infantil Quase de verdade

1979

Publicação da coletânea de contos A Bela e a Fera.