ANNE RICE

O AUTOR

Sombrios, crueis, bebedores de sangue: os vampiros habitam o imaginário popular, conjugando fascínio e temor. Famoso por torturar seus inimigos no século XV, o príncipe da Valáquia (na Romênia) Vlad III, o Empalador, teria sido a inspiração para o personagem-título de Drácula, de Bram Stoker. O romance, de 1897, consolidou a lenda e gerou a base da moderna ficção vampiresca.

Décadas depois, Anne Rice reinventou o mito do vampiro a partir do consagrado Entrevista com o vampiro, de 1976 — o primeiro da série As Crônicas Vampirescas. Desde então, entremeando o real e o sobrenatural em tramas embebidas de erotismo, história, filosofia e moral, Rice vendeu mais de 100 milhões de livros pelo mundo.

Howard Allen O’Brien nasceu em 4 de outubro de 1941, na cidade norte-americana de Nova Orleans — cenário de muitas das “crônicas vampirescas” —, e resolveu adotar “Anne” como primeiro nome ao ingressar na escola. O sobrenome Rice veio do marido, seu amor de juventude, o poeta e pintor Stan Rice.

Formada em ciência política e escrita criativa pela San Francisco State University, Anne Rice enveredou pela literatura sobre seres fantásticos, como vampiros, bruxas e afins após perder a filha, Michele, vítima de leucemia, em 1972. Devastada pela perda, Rice escreveu seu primeiro livro, Entrevista com o vampiro, em pouquíssimas semanas. O livro chegou ao público brasileiro pela tradução de ninguém menos que Clarice Lispector.e ganhou uma bem-sucedida adaptação para o cinema, em 1994, com Tom Cruise e Brad Pitt.

Três anos depois da morte do marido, em 2002, a escritora resolveu abandonar o ateísmo e abraçou a fé católica, iniciando uma nova fase em sua vida e carreira, trocando o irresistível vampiro Lestat por Jesus Cristo, anjos e redenção. Não importam as fases e as crises existenciais pelas quais ela passe, a rainha do romance gótico sobrenatural (e sensual) nunca sai de moda.
 
Comente  
Instagram